Resposta Editorial AN – Por que falar na Previdência e não na Dívida Pública?

postado em: Notícias | 0

O Jornal A Notícia, periódico do Grupo RBS em Joinville, defende no editorial desta segunda-feira (30 de maio) um ataque à Previdência Social. Há meses, o Sinpronorte vem alertando para os ataques que a Classe Trabalhadora poderá sofrer neste período em que a crise se agrava. O processo de Impeachment só acelerou as coisas.

O editorial tenta ser moderado, argumentando que todos precisamos ceder um pouco. Mas isso não passa de oportunismo. Em uma das afirmações do texto, a empresa de comunicação só confirma a constatação que já foi feita: estão jogando a conta da crise no colo da Classe Trabalhadora.

editorial-an-citação-1
Trecho do editorial do jornal A Notícia

Se, de fato, todos precisam ajudar, o Sinpronorte sugere que seja debatida a fundo a Dívida Pública. É verdade que a Previdência abocanha grande parte do orçamento da União. Por outro lado, o pagamento de juros e amortizações da dívida são o dobro dos gastos com previdência (veja mais no site “Auditoria Cidadã da Dívida“).

Orcamento-2014-executado
Fonte: https://www8d.senado.gov.br/dwweb/abreDoc.html?docId=92718 Notas: 1) inclui o “refinanciamento” da dívida, pois o governo contabiliza neste item grande parte dos juros pagos. 2) os gastos com juros e amortizações da dívida se referem aos GNDs 2 e 6, e foram desmembrados da Função “Encargos Especiais”: 3) as transferências a estados e municípios se referem ao programa 0903 – “Operações Especiais: Transferências Constitucionais e as Decorrentes de Legislação Específica”, e também foram desmembradas da Função “Encargos Especiais”. 4) os demais gastos da função “Encargos Especiais” foram referidos no gráfico como sendo “Outros Encargos Especiais”, e representam principalmente despesas com o ressarcimento ao INSS de desonerações tributárias, subsídios à tarifa de energia elétrica, pagamento de precatórios, dentre outras. 5) O gráfico não inclui os “restos a pagar” de 2014, executados em 2015.

O Sinpronorte pergunta: por que não discutimos o maior gasto do governo, mas queremos discutir o segundo maior?

O Grupo RBS traz dados com a intenção de chocar e sensibilizar para o tema. Segundo o editorial, os gastos com Previdência aumentaram 10% de 2014 para 2015. O que eles não contam é que os gastos com a dívida pública, cresceram 21,6% de 2013 para 2014 (últimos dados disponíveis). Estes dados, sim, deveriam chocar a população. Praticamente metade dos gastos da união são utilizados para pagamento de dívida e não há qualquer debate sobre isto.

Muitas vezes, nós Trabalhadores lemos neste mesmo jornal que a taxa básica de juros foi reajusta pelo Banco Central. A desculpa é o controle da inflação. O que não se fala é que aumentar a taxa básica de juros, significa aumentar o valor dos títulos da dívida.

Bancos e detentores de títulos lucram rios de dinheiro, mas quem vai pagar a conta é o Trabalhador com a reforma da Previdência. Com menos gastos na Previdência, sobra mais dinheiro para continuar pagando a dívida. Essa é a estratégia que os patrões estão armando para nós.

O Sinpronorte alerta: editoriais de jornais burgueses são a expressão da defesa dos interesses burgueses. (veja o editorial completo)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 9 =