Negociação Salarial com academias vai para dissídio

postado em: Campanha Salarial, Notícias | 0
negociação-siacadesc-2016-ministério-do-trabalho
Última rodada de negociação aconteceu no Ministério do Trabalho.

O reajuste salarial dos trabalhadores em academias será decidido pela Justiça do Trabalho. A decisão foi tomada após rodadas de negociação que tiveram como tônica predominante a intransigência do patronato. O Sinpronorte ofereceu contrapropostas, como parcelamento, mas nada fez os patrões recuarem. A inflação na data-base da categoria foi de 9,91% segundo INPC. A Justiça do Trabalho costuma definir o reajuste de acordo com o índice inflacionário do período.

Durante as rodadas de negociação, o sindicato patronal começou a negociação oferecendo reajuste zero. As academias tentaram criar uma cláusula de estabilidade de emprego, mas que na prática acabaria não sendo cumprida. Por outro lado, o Sinpronorte recuou na reivindicação e ofereceu uma proposta intermediária, mas pior do que o reajuste de 9,91%. Contudo, os patrões recusaram.

A proposta do Sinpronorte, recusada pelas academias, sugeria o parcelamento do reajuste e o fim da cláusula de antecipação do reajuste em outubro. Agora, a decisão está nas mãos da justiça. Embora a decisão seja mais demorada, o Sinpronorte acredita não haver dificuldade na aplicação de 100% do INPC como reajuste.

Atenção: Academias devem dar reajuste de 2,5%

A convenção coletiva de trabalho determina que as academias deveriam ter dado 2,5% de reajuste já em outubro de 2015 (a título de antecipação do reajuste de 2016). Os trabalhadores das academias devem observar se o reajuste foi feito em outubro. O não cumprimento desta antecipação gera multa à academia em favor do trabalhador. Em caso de dúvidas, os trabalhadores devem procurar o Sinpronorte.

Academias estão dando reajuste antes da decisão da Justiça do Trabalho

O Sinpronorte lamenta a intransigência do sindicato patronal. Durante a semana, diversas academias comunicaram o Sinpronorte que estão aplicando o reajuste de 9,91% imediatamente. Ou seja, não seria necessário levar a decisão para justiça.

A obrigatoriedade do reajuste salarial só existirá a partir do momento que a Justiça do Trabalho se manifestar. Por enquanto, cada academia é livre para dar o reajuste que convir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 10 =