Sindicatos fazem ato em Joinville pela saúde do trabalhador

postado em: Fotos, Notícias | 0

O dia 7 de abril foi marcado por mobilizações de trabalhadores em todo o país. Em Joinville, o movimento sindical se reuniu na Praça da Bandeira para manifestar sua luta pela saúde do trabalhador e contrariedade sobre o Projeto de Lei 4.330 (PL das terceirizações). As entidades das diversas cidades da região norte do estado entregaram um documento solicitando mais peritos do INSS ao instituto de previdência social. O grupo também se dirigiu em passeata até a Câmara de Vereadores para cobrar um posicionamento dos vereadores sobre os temas reivindicados.
A atividade foi organizada pelas centrais sindicais CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT.

 

DSC06914

Conheça as pautas reivindicadas na manifestação:

Pelo trabalho decente

As doenças profissionais são as principais causas das mortes relacionadas com o trabalho. Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), de um total de 2,34 milhões de acidade de trabalho mortais a cada ano, 321 mil se devem a acidentes. Os outros 2,02 milhões de mortes são causados por diversos tipos de enfermidades relacionadas com o trabalho, o que equivale a uma média diária de mais de 5,5 mil mortes.

Por mais peritos no INSS

No norte do estado, principalmente na cidade de Joinville, trabalhadores e sofrem com a falta de peritos nas agências do INSS, ficando assim com sua saúde e suas necessidades financeiras arruinadas por mais de 100 dias, devido à falta desses profissionais. Essa demora impede a recuperação rápida dos trabalhadores, estende prejuízos para governo e empresas, aumenta os custos para previdência social, empresas e beneficiários do Sistema.

Terceirização é escravidão

A grande maioria dos acidentes e doenças ocupacionais ocorre em empresas terceirizadas que precarizam as condições de trabalho. No Brasil, o que jé é ruim pode piorar ainda mais, porque tramita no Congresso Nacional o Projeto de Lei 4.330, que permite a terceirização das atividades fins da empresa, que hoje é proibido. Esse projeto pode ser votado ainda em abril. Nossa luta é pela rejeição do PL da terceirização pois, se aprovado, vai prejudicar ainda mais a classe trabalhadora. Terceirização agride a dignidade, reduz os salários e os benefícios e garantias dos trabalhadores em ausência de vínculo dirito junto à empresa que utiliza sua mão de obra.

 

[gdl_gallery title=”ato-pela-saude-do-trabalhador” width=”100″ height=”100″ galid=”1″ ]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 5 =