ESCOLAS PARTICULARES – Reajuste acima da inflação

postado em: Notícias | 1.746

ESCOLAS PARTICULARES

Reajuste acima da inflação

Unidades de Joinville enviam, a partir de outubro, comunicados sobre aumento do valor da mensalidade

As escolas particulares de Joinville devem enviar, a partir de outubro, os comunicados de reajuste de mensalidades e matrículas. Por enquanto, a expectativa é de que o valor do reajuste fique acima da inflação, mas não há percentuais definidos ainda. Segundo o presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Santa Catarina (Sinepe), professor Marcelo Batista de Sousa, não há previsão de reajuste único.

– Os preços são fixados de acordo com a planilha de custos de cada escola. É impossível fazer qualquer estimativa de percentual de aumento porque cada localidade onde a escola está inserida tem uma realidade específica, diferente das demais.

Segundo levantamento nacional, de 2009 a 2013 as mensalidades escolares subiram em média 40%, valor bem acima da inflação do período, que ficou em torno dos 28%.

Na estimativa oficial, a inflação deste ano deve ficar abaixo da do ano passado, que foi de 5,84%. Nos últimos 12 meses – de agosto de 2012 a agosto de 2013 – a inflação registrada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 6,09%.

Como cada escola tem o direito de reajustar de acordo com seus gastos – equipamentos, manutenção e folha de pagamento –, cabe aos pais acompanhar as planilhas e negociar.

Segundo o Diretor de Legislação e Assuntos Jurídicos do Sindicato dos Trabalhadores de Instituições de Ensino Particulares e Fundações Educacionais do Norte do Estado (SINPRONORTE), Lourivaldo Rohling Schülter, o acordo salarial das escolas com os professores e funcionários ocorre em março.

– Nossa negociação vai ocorrer só no começo do ano que vem, mas é comum as escolas definirem o reajuste em outubro.

A expectativa de Schülter é de que os índices fiquem entre 8% e 10%, dependendo da escola. De acordo com o Diretor de Legislação e Assuntos Jurídicos do sindicato, a categoria discute, neste momento, a possibilidade de adesão a uma manifestação nacional, inclusive com paralisação do trabalho.

 

leandro.junges@an.com.br

 

LEANDRO S. JUNGES

 

Fonte: A Notícia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × cinco =