Negociação salarial continua indefinida

postado em: Campanha Salarial, Notícias | 0

A negociação salarial até teve um pequeno avanço nas propostas, mas o Sinpronorte decidiu por não fechar. O sindicato patronal insiste em parcelar o reajuste salarial dos trabalhadores em educação do ensino superior. A proposta anterior era a reposição da inflação (11,08%) em duas parcelas: uma agora e outra em setembro. Na negociação realizada nesta terça-feira (19 de abril), as escolas ofereceram trazer a segunda parcela para julho. O Sinpronorte insiste que parcelar o reajuste significa perda do poder de compra dos salários. Para educação básica, já se chegou ao acordo de reajuste de 11,08% em parcela única retroativo a 1º de março.

 

Entenda como foi a última rodada de negociação.

Proposta das escolas para o ensino superior:

Inflação 1ª parcela 2ª parcela
11,08% 5,54% em março 5,54% em julho

Contraproposta do Sinpronorte para o ensino superior:

Inflação 1ª parcela 2ª parcela
11,08% 9,5% em março 1,58% em julho

 

Assim como o Sinpronorte não aceitou a proposta das escolas, as escolas também não aceitaram a contraproposta do Sinpronorte. Ainda não há data para uma nova rodada de negociação.

 

Outras reivindicações

  • Ensino básico: acordado o reajuste em parcela única de 11,08%;
  • Pisos salariais: reajuste de 12% em todos os pisos;
  • Vale alimentação: proposta recusada pelas escolas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 − 4 =